Mundo sem Dor – Parte 2


Prevenindo-se contra a dor – Vai um suco?

Livrar-se de dor crônica pode se tornar uma via crúcis para uma pessoa. Não dormir direito, ficar para baixo, evitar mexer muito para não doer e até se isolar da família e dos amigos tornam-se parte da vida.

Buscando o alívio com o uso de analgésicos ou outras terapias, muitas vezes a pessoa não lembra que o alívio pode estar na cozinha mesmo, em um dos fundamentos de qualquer plano de manejo de dor: a alimentação adequada.

Muitas dores do dia-a-dia ou resultado da prática esportiva, podem ser atribuídos ao esforço exigido dos tecidos compondo o sistema músculo-esquelético, que causa rompimentos, lesões e inflamações.

Os nutricionistas indicam que os fitonutrientes (anti-oxidantes, antocianinas e similares), podem nos proteger nesses casos e contribuir para a diminuição da dor ou a estimular a recuperação muscular após grande esforço.

Assim como a aspirina – analgésica e anti-inflamatória – que vem de uma planta, existem muitos alimentos que podem trazer benefícios no alívio da dor.

Embora ainda não tenhamos estudos grandes que comprovem definitivamente os benefícios de alguns alimentos muito citados na mídia, já temos um corpo crescente de evidências sobre a importância do controle dietário na prevenção de dores e inflamações.

Inclusive, temos vários posts no blog sobre a importância da boa alimentação.

O paciente de dor crônica deve tentar manter uma alimentação saudável – o que pode também contribuir para o emagrecimento em caso de sobrepeso, utilizando certas frutas, vegetais, especiarias e temperos que sabemos fornecer fitonutrientes (anti-oxidantes, fenóis e antocianinas) que mitigam a dor e inflamação, especialmente do tipo músculo-esquelético.  Inclusive, sabe-se que sete entre dez pacientes que queixam a dor crônica estão acima do seu peso.

Fonte: http://mundosemdor.com/

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn